Main menu

(11) 3717-5537

(11) 3090-5537

Banda larga deverá ter velocidade no mínimo 30% da contratada

05/11/2013
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

velocidade-na-internetApós um ano de medição e avaliação da velocidade de banda larga de internet no Brasil, as operadoras de deverão elevar de 20% para 30% a garantia da velocidade mínima de acesso contratada, além de subir o desempenho médio mensal de 60% para 70%. Esta nova determinação refere-se as taxas de download e upload tanto para as conexões fixas quanto para móveis.

Mesmo com estas exigências impostas pela ANATEL (agência reguladora de  telecomunicações), ela demonstrou através de pesquisas que a maioria das operadoras não atingiu as metas. Em comparações feitas em cinco estados no mês de agosto passado, apenas a Claro esteve acima das expectativas, Vivo, Oi e Tim não entregaram os 20% definidos como meta.

Desde novembro de 2012, a ANATEL comunicou ao mercado que o nível de exigência aumentaria com o tempo, e em meados de 2014 as operadoras deverão entregar 40% da taxa mínima e média de 70%. Para as conexões móveis, a queda do acesso deverá ficar abaixo de 5% no mês.

A medição das taxas fornecidas funciona da seguinte forma: na banda larga fixa, os indicadores monitorados são velocidade de transmissão de download e upload, latência (tempo de resposta), jitter (variação de latência) e perda de pacotes; já na banda larga móvel os indicadores são velocidade média e instantânea.

A definição da metodologia e dos procedimentos realizados foram especificados pelo Grupo de Implantação de Processos de Aferição da Qualidade, o GIPAQ, grupo coordenado pela ANATEL, que conta com a participação de representantes das operadoras e entidades convidadas como CGI.Br (Comitê Gestor da Internet no Brasil) e o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Fale Conosco

Nome

E-mailAssunto

Mensagem




0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×